divdiv
PUBLICIDADE

Geral

Publicidade

África do Sul confirma morte causada por vacina contra covid

É o primeiro caso registrado no país em decorrência do uso de imunizantes

Por: Revista Oeste

A agência reguladora de produtos de saúde da África do Sul (Sahpra, na sigla em inglês) confirmou nesta quinta-feira, 4, a morte de uma pessoa devido à imunização com a vacina Janssen, da Johnson & Johnson, contra a covid-19. Nenhum dado sobre a vítima foi divulgado. É o primeiro caso de morte confirmado no país em decorrência do uso da vacina.

“A Sahpra foi informada de um caso fatal de síndrome de Guillain-Barré (GBS, na sigla em inglês) após a vacinação com a vacina covid-19 Janssen”, anunciou a agência. No comunicado, o órgão informa que o caso foi analisado pelo comitê nacional de especialista em imunização (Nisec, na sigla em inglês), usando a metodologia da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Segundo a nota, “o caso foi classificado como um evento relacionado com o produto vacinal, em que a imunização com a vacina da covid-19 Janssen foi associada à ocorrência da síndrome de Guillain-Barré no receptor da vacina” e que “nenhuma outra causa provável da síndrome foi identificada” no paciente.

De acordo com a agência, a síndrome Guillain-Barré, que afeta o sistema imunológico, é um evento adverso muito raro, mas grave, que está associado com a administração de várias vacinas e de outros medicamentos e também pode ser desencadeado por infecções como o Sars-CoV-2”. A doença pode evoluir bem, mas, em alguns casos pode causar paralisia e outros problemas graves, como dificuldade respiratória, alteração da pressão arterial e da frequência cardíaca.

No comunicado, a Sahpra lembra que aprovou o uso da vacina Janssen em março de 2021 para pessoas com 18 anos ou mais, com uma dose única de vacinação. Em dezembro de 2021, foi aprovada como dose de reforço até mesmo para os imunizados com vacinas de outros laboratórios. Até agora, foram aplicadas na África do Sul 9,1 milhões de doses da Janssen, segundo a agência.

“As autoridades regulatórias já investigaram relatos de GBS associados a vacinas covid-19. Em julho de 2021, a Agência Europeia de Medicamentos (EMA) realizou uma revisão de 108 casos suspeitos de GBS relatados em todo o mundo depois de 21 milhões de pessoas terem recebido a vacina covid-19 Janssen. Concluíram que existe um possível aumento de risco e relação causal entre a ocorrência de GBS e a vacina covid-19 Janssen”, conclui a nota.

No Japão, a família de uma mulher de 91 anos que morreu após tomar vacina contra a covid – de marca não informada pelo governo – foi indenizada recentemente.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Publicidade