divdiv
PUBLICIDADE

Cidade

Publicidade

Alerta de chuva e tempestade no feriadão de 7 de Setembro

MetSul alerta para volumes muito elevados de chuva e alto risco de temporais no Rio Grande do Sul no feriadão da Independência

Por: MetSul

A MetSul Meteorologia emitiu um alerta, nesta sexta-feira, 3, para volumes muito altos de chuva no Rio Grande do Sul nos próximos dias com acumulados em algumas regiões do Estado. Esses acumulados podem se aproximar ou superar a média de precipitação de setembro que é uma das mais altas entre os meses do ano.

São dois períodos que a MetSul antecipa devem ter a instabilidade mais forte e com os mais chuva. O primeiro, entre a tarde de sábado, 4, e o começo do domingo, 5. O segundo, e de maior risco, se dará entre o final da segunda, 6, e a quarta-feira, 8.

A chuva não atingirá todas as regiões do Rio Grande do Sul simultaneamente E os volumes devem variar muito dentro do território gaúcho.

O fim de semana

Neste sábado, 4, por exemplo, áreas de instabilidade devem se formar já cedo do dia com chuva de manhã em pontos do Noroeste e do Norte do Estado. Da tarde para a noite, a chuva vai avançar pelo Rio Grande do Sul e alcançará a maioria das regiões antes de o dia terminar.

Já o domingo, 5 deve começar com chuva em pontos do Norte e do Leste gaúcho, porém a instabilidade deve rapidamente se afastar para o oceano juntamente com um centro de baixa pressão e a tendência é a nebulosidade diminuir e o sol aparecer com nuvens, em meio a períodos de maior nebulosidade em algumas áreas.

Início da semana e feriado

A segunda-feira, 6, terá sol e nuvens com aumento gradual da nebulosidade. Ar muito quente começa a ingressar a partir do Norte e do Noroeste gaúcho e deve começar a organizar uma frente quente sobre o Rio Grande do Sul.

Por isso, nuvens carregadas vão se formar no Oeste e devem avançar para a faixa central e parte do Sul gaúcho da tarde para a noite com pancadas de chuva, raios e risco de granizo isolado.

A terça-feira, 7 de setembro e feriado da Independência, pode ser um dia muito complicado e perigoso do ponto de vista de tempo severo em parte do Rio Grande do Sul. Ar muitíssimo quente vai cobrir o Noroeste e o Norte do Estado com grande parte da Metade Norte, exceção de pontos mais a Leste como parte da Serra e do Litoral, com sol e muito calor. Máximas perto ou acima de 35ºC podem ocorrer no Noroeste gaúcho.

A frente quente ganha muita intensidade sobre o Oeste, o Centro, o Sul e a maior parte do Leste gaúcho entre a madrugada e de manhã na terça com chuva forte a intensa, enorme quantidade de raios e risco crítico de temporais de vento (vendavais isolados) e granizo, sobretudo de granizo.

O granizo pode ter tamanho médio a grande em alguns pontos. Porto Alegre e região devem estar na área limítrofe entre a zona de maior e menor risco de tempo severo.

Os acumulados de chuva em pontos do Centro, do Oeste e do Sul do Rio Grande do Sul na terça, especialmente entre a madrugada e de manhã, podem ser altíssimos com marcas perto ou acima de 100 mm em diversas cidades destas regiões e potencial para 100 mm a 200 mm em menos de 48 horas em diversos pontos.

A chuva em alguns pontos destas duas regiões pode ser de 50 mm a 100 mm em intervalos curtos de uma a três horas, o que traz o perigo de alagamentos, inundações repentinas e transbordamento de córregos.

Frente fria

Na quarta, 8, a frente quente se converte em frente fria à medida que deixa de se movimentar pela massa de ar quente ao Norte e passa a ser impulsionada por ar frio de Sul. O sistema traz chuva forte e temporais no Oeste e no Sul gaúcho desde cedo e no decorrer da quarta avança para as demais regiões gaúchas com precipitações localmente fortes a torrenciais e alto risco de tempestades.

Como ar muito quente precederá a frente e com baixa pressão atmosférica, há possibilidade de tempo severo com vendavais isolados (mesmo risco de microexplosões e risco marginal de tornados) assim como de granizo.

Os modelos todos indicam este cenário de forte instabilidade para os próximos dias no Rio Grande do Sul, mas divergem sobre o posicionamento da chuva mais volumosa. As simulações têm alterado muito a cada rodada as projeções e, por isso, é importante estar atento às últimas saídas dos modelos a cada seis horas na nossa seção de mapas (acesso exclusivo do assinante).

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE