divdiv
PUBLICIDADE

Educação

Publicidade

Creches e escolas reforçam a segurança após ataque à creche em SC

CEI Dra. Zilda Arns, do município de Forquilhinha, no Sul catarinense, foi uma das creches que adotou novos métodos de segurança

Por: ND Mais

Após o atentado na escola infantil Pró-Infância Aquarela, em Saudades, no Oeste de Santa Catarina, muitas escolas do Estado estão melhorando o sistema de segurança, para evitar episódios parecidos. O CEI (Centro de Educação Infantil) Dra. Zilda Arns, do município de Forquilhinha, no Sul catarinense, foi uma das creches que adotou novos métodos de segurança.

De acordo com a diretora da unidade, Lucinara Tramontin, o CEI já tinha uma rotina de segurança, que consistia em receber as crianças no portão e manter a porta interna da creche fechada, mas aconteceram mudanças após a tragédia em Saudades. “Depois do ocorrido, passamos cadeados e arrumamos a fechadura. Ela é fechada e só é aberta quando o pai se aproxima. Nós colocamos uma campainha, para ter maior segurança. Com isso, os pais se sentiram mais seguros, os professores”, contou.

Além disso, a escola também passou a ter listas com nomes dos pais dos alunos de cada sala de aula. As crianças só são liberadas para deixar a creche depois de as professoras verificarem se o nome da lista confere com o que quem veio buscá-las.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE