divdiv
PUBLICIDADE

Geral

Publicidade

Milton Ribeiro foi surpreendido em casa; Veja o momento da prisão

Ex-ministro foi preso em Santos (SP) nesta quarta, 22

Por: R7

Imagens de um circuito de segurança obtidas pela Record TV mostram o momento em que o ex-ministro da Educação Milton Ribeiro foi preso por agentes da Polícia Federal em Santos, no litoral paulista. Ele é investigado por irregularidades na gestão dos recursos do FNDE (Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação), ligado ao Ministério da Educação.

Ribeiro foi surpreendido em casa às 7h47 desta quarta-feira (22). De lá, foi levado para São Paulo. Ele deve ser conduzido para a Superintendência da Polícia Federal em Brasília, onde está prevista uma audiência de custódia nesta quinta-feira (23), às 14h.

O mandado de prisão preventiva indica que o ex-ministro é suspeito de tráfico de influência, corrupção passiva, prevaricação e advocacia administrativa. Também foram presos os pastores Arilton Moura e Gilmar Santos, apontados como lobistas que atuavam no MEC. 

As ordens judiciais foram emitidas pela 15ª Vara Federal Criminal da Seção Judiciária do Distrito Federal. Os mandados de busca e apreensão e prisões foram cumpridos em Goiás, São Paulo, Pará e DF. A investigação corre sob sigilo. Em nota, o Ministério da Educação disse que “não compactua com qualquer ato irregular e continuará a colaborar com as investigações”.

O caso veio à tona em março após o vazamento de um áudio em que Milton Ribeiro afirma privilegiar prefeitos indicados pelos pastores. Na gravação, Ribeiro diz que as prioridades dele são “atender primeiro os municípios que mais precisam” e “atender a todos os que são amigos do pastor Gilmar”.

“Porque foi um pedido especial que o presidente da República fez para mim sobre a questão de Gilmar. Apoio. Então o apoio que a gente pede não é segredo, isso pode ser [inaudível] é apoio sobre construção das igrejas”, disse o então ministro da Educação.

Depois que o caso foi revelado, Ribeiro se defendeu dizendo que após ter tomado conhecimento, em agosto de 2021, acerca de “uma pessoa” que estaria cometendo irregularidades, ele denunciou o fato à CGU. A informação foi dada por ele também em entrevista à Record TV. O R7 mostrou que, mesmo depois de ter denunciado os dois pastores, ele participou de um evento evangélico com ambos e os chamou de “amigos”.

Diante das informações, a Comissão de Educação do Senado convocou prefeitos, o atual ministro da Educação, Victor Godoy, e outras pessoas que tiveram contato com os dois pastores. Nas oitivas, três prefeitos confirmaram que houve pedido de dinheiro e até de ouro por parte do pastor Arilton Moura para a liberação de recursos da Educação.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Publicidade