divdiv
PUBLICIDADE

Região

Publicidade

Salva a alma, mas não só!

O ser humano é um todo inseparável, também depois da morte.

Por: Pe. Maicon A. Malacarne

Jesus deixou outra recomendação para os discípulos que convido a rezar neste sábado: «Não tenhais medo daqueles que matam o corpo, mas não podem matar a alma» (Mt 10,28). Muitas gerações cresceram com o slogan «salva a tua alma», para reforçar que a parte ‘boa’ é a alma e tudo que é ligado ao corpo é ‘ruim’. Esse chamado «dualismo», fundamentado em concepções da cultura grega influenciou fortemente a Igreja, mas foi superado no Concílio Vaticano II.

A Gaudium et Spes, por exemplo, sublinhou que não existe alma separada do corpo, nem antes do nascimento e nem depois da morte. O ser humano é um todo, inseparável, também depois da morte. Na América Latina, o Documento de Medellín, sob influência conciliar, destacou que a salvação «é a passagem de situações menos humanas para mais humanas». É também dentro dessa antropologia unitária que o Papa Francisco, mais recentemente, escreveu na Evangelii Gaudium: «evangelizar é humanizar».

Isso tudo para ajudar a oração: nós somos um todo! A salvação é inteira, corpo-alma-espírito! Quando Jesus advertiu sobre os que «não podem matar a alma», estava assinalando, exatamente, que mais do que o corpo, somos integralidade! Há em cada pessoa essa dimensão transcendente, de abertura, de energia, que é preciso reconhecer: cuidar a alma, cuidar o espírito, cuidar o corpo! Tudo, tudo, tudo! É estranho, considerando a Tradição e o acúmulo do Magistério, que ainda hoje se escutem expressões como: «a Igreja tem de cuidar da alma»! Trata-se de uma verdade fatiada porque não é só a alma, é o ser humano inteiro e tudo que está em relação com ele!

Hoje a Igreja lembra de Santa Paulina! No sul do Brasil, em Nova Trento/SC, está um grande santuário em sua dedicação. Paulina foi uma mulher que serviu os pobres. Há, porém, um episódio particular da vida de Santa Paulina que reflete esse programa de vida que estamos meditando hoje: ela acompanhou com cuidado e amor os últimos dias de doença de duas prostitutas em uma casa de prostituição. Amou-as até a morte! Um grande testemunho de cuidado e de amor ao humano, integralmente!

«Salva o ser humano», essa é a maior missão de todas!

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Publicidade