divdiv
PUBLICIDADE

Cidade

Publicidade

Vereador pede alteração do horário de funcionamento da Prefeitura

O decreto municipal que instituiu o regime de turno único no Executivo de Erechim é datado de janeiro deste ano

Por: Ascom

Na última sessão ordinária do Poder Legislativo erechinense, realizada na terça-feira, 21, o vereador André Jucoski (PDT) encaminhou ao Poder Executivo um pedido de providências em que solicita a alteração do horário de funcionamento da Prefeitura, atualmente fixado em turno único das 7h30 às 13h30. O parlamentar sugere que os funcionários sejam divididos em dois grupos, com jornadas de trabalho em dois turnos, das 7h30 às 13h30 e das 13h às 19h, a fim de manter tanto a Prefeitura quanto suas secretarias abertas ao público durante todo o dia.

O decreto municipal que instituiu o regime de turno único no Executivo de Erechim é datado de janeiro deste ano, período em que a pandemia de covid-19 apresentava números significativamente preocupantes no município. Com a atual melhora dos índices, Jucoski acredita ser necessário rever o formato atual de jornada de trabalho. “Nossa cidade está vivenciando uma nova fase, com redução dos casos e das internações hospitalares. Claro que este fato se deve a um exaustivo trabalho realizado pela administração municipal, coordenando um grupo de servidores da área da saúde, comprometidos, competentes e dedicados”, afirma.

“Em função de todo esse contexto, e com a necessidade latente de retomada em todos os setores, pensamos que o poder público deve servir de parâmetro, um exemplo a ser seguido. Nossos setores devem estar à disposição do cidadão, para que possamos auxiliar de todas as formas nesse período de retomada”, completa o vereador, enfatizando que, com a ampliação do horário de funcionamento, a Prefeitura será capaz de proporcionar um atendimento ainda mais qualificado à comunidade.

Esclarecimentos

Na mesma sessão, Jucoski encaminhou ao Executivo um requerimento em que solicita informações referentes ao turno único. No documento, ele pede um comparativo por período, com números, valores, índices de quanto era gasto antes da implantação do formato de horário vigente e quanto tem sido gasto atualmente, já que uma das justificativas para implantação do turno único dizia respeito a uma possível economia em vales-transportes e energia elétrica, entre outros aspectos. “Tal solicitação se faz necessária pela falta de esclarecimento no pedido que realizamos anteriormente, levando em consideração a função do vereador de representar a população e fiscalizar o Executivo. Estamos falando de dados que são de interesse tanto da Casa Legislativa quanto dos munícipes”, destaca.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE