divdiv
PUBLICIDADE

Agronegócio

Publicidade

Clima provoca redução da produção de laranja

Cerca de 85% dos pomares da região de Erechim seguem sendo da variedade valência

Por: Novo Rural

Na região de Erechim são quase 3 mil hectares de laranja e cerca de 340 hectares de bergamotas. A informação é da Emater/RS-Ascar, segundo o assistente técnico regional e agrônomo Luiz Ângelo Poletto. Na safra passada, a produtividade média por hectare foi cerca de 32 toneladas. O número foi positivo, mas não poderá ser repetido na atual safra devido aos efeitos da estiagem. A redução esperada é de até 30%.

– Foram registrados três períodos de estresse hídrico na região. O primeiro ocorreu entre agosto e dezembro, comprometendo o início da formação do fruto. Os demais ocorreram já na fase de formação do fruto, gerando uma perda de produtividade nos pomares da bacia produtora – destaca Poletto.

            Contudo, a redução na produção é esperada também em outros dois polos produtores: São Paulo e o estado norte-americano da Flórida. O primeiro também impactado pela estiagem e o estado estadunidense por fortes tempestades. Estima-se que essa baixa na produção possa repercutir em melhores preços aos citricultores. Na safra passada, por exemplo, o lucro líquido por hectare foi de, em média, R$ 5 mil.

São mais de dois mil citricultores na região do Alto Uruguai. Entretanto, a tendência é que ocorra uma diminuição no número de produtores, mas um aumento da área destinada para essas frutas. “Vemos cada vez mais casos de agricultores com 20 ou 30 hectares destinados unicamente à citricultura”, revela Poletto.

A cultivar mais utilizada é a laranja-valência – cerca de 85% dos pomares. “Estamos buscando ampliar as demais variedades. Além da valência, temos também a laranja-doce, a salustiana, a rubi e a iapar, pontua o assistente técnico.

Aratiba soma 650 hectares de citros

Dos quase três mil hectares cultivados na região, mais de 650 estão localizados em Aratiba. O município é um dos precursores da citricultura na região. A atividade teve início comercialmente por volta de 1999, ano em que foi lançado o primeiro programa de incentivo à citricultura no município.

Um dos principais produtores do município é João Batista Griebler. Somando as áreas nas terras aratibenses, juntamente com a fazenda em Abelardo Luz/SC, Griebler possui mais de 100 hectares destinados à citricultura. Essas áreas produziram, na safra passada, cerca de 3 mil toneladas. Contudo, devido aos fatores climáticos, a atual safra terá uma diminuição na estimativa. A previsão é que cerca de 1.800 toneladas sejam colhidas.

– A opção de investimento nesta atividade segue em função disso. Além do mais, há a ligação de décadas com a cultura e a busca por em uma atividade que oferecesse a possibilidade de bons rendimentos – acrescenta, ressaltando que este é um mercado com demanda em alta.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Publicidade