divdiv
PUBLICIDADE

Agronegócio

Publicidade

O azeite que você consome é realmente bom para a saúde? Veja como saber

A qualidade do ingrediente pode variar de acordo com a forma em que é colhido, processado, armazenado e utilizado

Por: CNN

O azeite tem muitos benefícios para a saúde, incluindo a redução do risco de demência, problemas de saúde cardíaca, declínio cognitivo ou morte precoce.

O quão benéfico é realmente o alimento básico da dieta mediterrânica depende de como o produto é colhido, processado, armazenado e utilizado – em explorações agrícolas ou moinhos, mercearias e na sua própria casa.

“Os benefícios para a saúde vêm de uma variedade de fatores ou componentes do azeite”, disse Tassos Kyriakides, professor assistente de bioestatística na Escola de Saúde Pública de Yale em New Haven, Connecticut. “O principal deles é o ácido oleico, que demonstrou trazer benefícios muito saudáveis.”

Também importante é a rica quantidade de polifenóis do azeite, que são um tipo de antioxidante que ajuda a proteger contra danos celulares e inflamações no corpo, disse Mercedes Fernández, chefe da unidade de normalização e investigação do Conselho Oleícola Internacional, um organização intergovernamental com sede em Espanha.

Aqui está o que você precisa saber para selecionar o melhor azeite possível para sua dieta.

Colheita e processamento

Historicamente, as marcas que mantêm um azeite de elevada qualidade são aquelas que colocam cuidado no processo desde o momento da colheita, disse Kyriakides. O azeite feito de azeitonas muito verdes, cuidadosamente colhidas e que ainda não amadureceram totalmente, é o melhor, pois apresenta maior concentração de componentes saudáveis, acrescentou.

A rapidez com que as azeitonas passam da colheita até serem processadas em azeite é o próximo passo crítico.

“Algumas empresas têm moinhos e processamento próprios onde, em duas horas, podem retirar os frutos das árvores, colocá-los no moinho e obter o produto”, disse Kyriakides. Isso minimiza o risco de a fruta oxidar ou fermentar por ficar parada por muito tempo após a colheita.

Não deve haver mais do que alguns dias entre as datas de colheita e processamento, acrescentou.

A forma como o óleo é processado é um dos maiores fatores para saber se esse produto é saudável, dizem os especialistas. O azeite de oliva extra virgem é a versão mais saudável porque é prensado a frio apenas uma vez, sem altas temperaturas ou solventes químicos. O processamento especial ajuda o azeite extra virgem a reter seus nutrientes.

Métodos de frescor e armazenamento

Você pode estar se perguntando como saber quando as marcas colhem suas azeitonas ou quando as processam.

Com a crescente popularidade do consumo de azeite para benefícios à saúde, algumas empresas colocaram esses detalhes diretamente nos rótulos dos produtos. Como alternativa, algumas etiquetas possuem um QR code que você pode digitalizar para ler essas informações em seu smartphone.

De qualquer forma, certifique-se de verificar as datas de colheita, processamento e engarrafamento e o prazo de validade para obter o azeite mais fresco, recomendam os especialistas.

Garrafas que não levam mais de três meses para ir da colheita até a prateleira são sua melhor escolha, e quanto mais longe estiver o prazo de validade da compra do azeite, mais fresco será o produto, disse Kyriakides.

O Conselho Oleícola Internacional recomendou que as marcas limitem o prazo de validade a não mais de dois anos após o engarrafamento.

Se a garrafa de uma marca diz que a época de colheita foi “23/24”, por exemplo, “isso significa que a colheita durou do final de 2023 até o início de 2024”, disse Kyriakides. “Outros serão muito rigorosos – dirão outubro, setembro de 2023.”

Para os fãs nos Estados Unidos, conseguir azeite fresco não significa mais que ele precise ser importado. Isso foi possível graças ao crescimento dos produtores sediados nos EUA – especialmente na Califórnia, onde há um clima propício ao cultivo de variedades nativas de oliveiras e os habitantes locais podem obter azeite de alta qualidade em um período de tempo muito mais curto. Geórgia, Oregon, Texas e Arizona também produzem azeite, mas em menor escala.

Assim como os compostos do chá ou do chocolate, os do azeite se degradam com o tempo, especialmente se for armazenado em um ambiente quente ou exposto à luz ou ao ar, disse Selina Wang, professora associada de extensão cooperativa em frutas de pequena escala e processamento de vegetais na Universidade da Califórnia, Davis.

É por isso que é fundamental armazenar o azeite em ambiente fresco e em garrafa de vidro de cor escura durante toda a vida do azeite. A importância de um ambiente fresco é também a razão pela qual consumir o óleo cru, digamos como molho para salada, é melhor do que usá-lo para cozinhar. Mas, independentemente de como é consumido, o azeite é muito mais saudável do que os óleos altamente refinados comprados no supermercado, dizem os especialistas.

Se no supermercado você vir azeite de oliva extra virgem armazenado em uma prateleira de cima perto de grandes luzes brilhantes e a garrafa estiver quente, isso é um sinal de alerta, disse Kyriakides.

“Não vou comprar esse óleo, porque sei que ele está ali, já foi exposto a esse calor”, acrescentou.

Preservando seu óleo em casa

Além das informações sobre datas de colheita e processamento, outra forma de avaliar o frescor do seu azeite é pelo sabor.

“Quanto mais sabor um azeite tem, mais benefícios para a saúde”, já que os compostos responsáveis ​​por eles também contribuem para o sabor do azeite, disse Joseph R. Profaci, diretor executivo da North American Olive Oil Association, uma associação comercial da indústria, via e-mail. “Se a saúde é o principal fator, os consumidores devem procurar aqueles que sejam robustos, em vez de leves”.

Por isso, Profaci apelou a que as pessoas “se habituem a abrir a garrafa de azeite assim que a chegam a casa e a prová-la”, acrescentou. “Isso os ajudará a desenvolver um paladar mais exigente para o azeite. Se eles sentirem esse gosto e ficarem desapontados, e especialmente se tiver o gosto rançoso de giz de cera ou nozes estragadas, leve-o de volta à loja e peça o reembolso ou a substituição.

E depois de prová-lo, se o azeite estiver fresco o suficiente, não o coloque em banho-maria em ocasiões especiais, disse Wang.

“Você deve consumir seu azeite o mais rápido possível”, acrescentou ela, “porque os motivos pelos quais você o compra – que são para a saúde e depois para o sabor – diminuem à medida que o azeite envelhece”.

Manter o óleo consistentemente na geladeira pode estender a proteção dos fenólicos por mais um ou dois anos – apenas certifique-se de colocá-lo na bancada um pouco antes de colocá-lo na salada para que possa aquecer até a consistência normal, Kyriakides disse.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE